terça-feira, 23 de setembro de 2008

Biografia do Oscar Filho


Biografia muito divertida da vida do Oscar Filho, foi retirada, junto com a foto acima, do seu próprio site (www.oscarfilho.com.br), veja-a logo abaixo, em ordem cronológica:

1991: E. E. P. G. José Alvim, o diretor era Waldir Bottura que conduzia a escola com regras praticamente militares. Durante uma apresentação escolar da 6a série, 5 colegas de sala tocaram e cantaram "Asa Branca". Enquanto a música era executada, um empolgado Oscar Filho subiu na cadeira, arrancou a camiseta e começou a rodá-la no ar. Oscar Filho jura por Deus que não se lembra desse fato.

Também começou a fazer teatro. Seu pai não gostou da idéia argumentando que poderia atrapalhar nos estudos. Sua irmã o defendeu dizendo que seria o contrário, que o ajudaria no desempenho escolar. Oscar Filho repetiu a 6.a B!

1992: amigos como A, P e H (não vamos citar nomes) durante muito tempo tiraram sarro por Oscar ter repetido de ano. Oscar jogou uma praga nos três: A não conseguiu completar o colegial e fez supletivo, P repetiu a oitava e H repetiu TRÊS VEZES A SEXTA SÉRIE.

1993: Oscar foi o melhor aluno das quatro 7.as séries do período noturno. Isso é o que ele diz.

No mesmo ano, Oscar Filho apresentou uma peça teatral numa faculdade em Atibaia. No meio de uma cena, esqueceu uma fala e não disfarçou assumindo a falha. Dias depois, os universitários ainda paravam Oscar Filho na rua parabenizando-o pela atuação perfeitamente naturalista.

1994: levou um apito para um jogo importante de basquete em Atibaia. Ora um time parava achando que era o juiz, ora o outro. Apitou até os dois times pararem confusos na quadra. Com medo, partiu pra outra: Teve a brilhante idéia de puxar a batida da música "We will rock you" do Queen no telhado de alumínio. Dava duas porradas e o ginásio todo batia uma palma. Dia seguinte, machete no jornal: "Vandalos tentam destruir telhado do Gináiso Elefantão".

1995: Teve sua primeira namorada séria. Era difícil de fazê-la rir. Seu nome: Danielle. Ela era uma garota de programa, pois fazia o Fantasia no SBT. O namoro durou nem 4 meses. No final, ela desfez o namoro dizendo que só queria que fossem bons amigos. Nunca mais a viu. Oscar voltou 13 km pra casa chorando muito em cima de uma bicicleta. Não conseguia parar de pensar: "Por que? Por que? Por que ela não me deu uma carona?"

1996: foi parar no Juizado de menores por viajar e não portar documento. O guarda pediu para que ele interpretasse uma cena de Hamlet para ele. Fez o papel da caveira. O que não foi muito difícil porque estava subnutrido na época. Graças a Deus não pediu pra que fizesse uma cena de filme pornô.

Neste ano tirou sua carta de motorista. Uma das analistas da prova era sua prima. Passou! Seu pai lhe emprestava o carro: um fusca azul. Foi desafiado a levar 10 pessoas lá dentro. Aceitou o desafio e levou 13.

1997: entrou no colégio E. E. P. S. G. Major Juvenal Alvim. Como trote, os veteranos fizeram Oscar Filho transar com uma árvore só de cueca. Oscar só não fez amor com a árvore como gemeu alto. Este ato gerou frutos. (Foi o orador dos colegiais na formatura)

1998: indo pra escola, Oscar Filho parou para ver a tela que um artista pintava de 4 metros por 2,5 de altura onde retratava a praça central de Atibaia. Oscar ficou tão encantado com o realismo da obra que resolveu passar o dedo para ter contato com aquilo e a obra veio ao chão. Até hoje não tem coragem de encontrar com o artista que teve o trabalho de 9 meses completamente perdido.

1999: gastou o dinheiro de avião, hospedagem e alimentação indo para o Rio de Janeiro prestar vestibular. Foi em vão porque se esqueceu de colocar o relógio pra despertar e perdeu a hora da prova.

2000: muda-se para São Paulo. Rua Augusta... Os travestis faziam ponto EXATAMENTE na porta do seu prédio. Sempre que ia sair de noite, falava pra eles: "Com licença, com licença".

Se veio o planeta chupão ou não, Oscar não sabe, mas continua na Terra. Paulo Sérgio também...

Século XXI

2001: trabalhou na CET como orientador de transito. Ironicamente os acidentes envolvendo carros e pedestres aumentaram consideravelmente naquele ano.

2002: tomou o primeiro chute na canela trabalhando como animador de festa infantil. Fantasia: Ursinho Puf.

2003: descobriu que era corno. Pegou sua namorada na cama... COM OUTRA. Ficou arrasado e acabou o namoro ali mesmo. Hoje se arrepende de não ter dito algo como: "também quero!"

2004: trabalhou numa empresa que vendia stands modulares. Andava de terno debaixo de sol e sentia muito calor. Nunca vendeu uma peça sequer. Jurou a si mesmo que NUNCA mais ia trabalhar de terno.

2005: participou das filmagens de um longa ficção interativa chamado Em Aberto interpretando um policial. Apareceu mais tempo nos extras errando o texto do que no filme em si. Desastre total.

2006: Visitou o Grande Cannion através do Google Earth...

2007: pagou o seu primeiro mico em um evento às 6 da manhã. Foi convidado para "acordar" um grupo de pessoas que iria de ônibus de São Paulo a Nazaré Paulista usando o bom humor. A questão é que as pessoas, TODAS, já estavam bem acordadas e incrívelmente animadas. Oscar Filho foi o responsável por deixá-las num mau humor absoluto.

2008
: Capotou o carro em janeiro na divisa do Paraná com São Paulo. Ligou para o seguro e enquanto esperava para pegarem seus dados, colocaram uma músiquinha de espera: "Quando eu morrer, me enterrem na Lapinha..."

Em março tomou um tapa na orelha do Hector Babenco em entrevista ao CQC. Foi perguntado se teve vontade de revidar e a resposta foi: "Não, pois sou um bom cristão. Eu ofereceria a outra orelha". Se bem que a revistada foi tão forte que entrou por uma orelha e saiu pela outra.

Atualmente trabalha de terno e óculos escuros no CQC. Foi a última vez que encontrou com seu amigo Murphy.

OBS: Tem muitas outras coisas no inconsciente de Oscar Filho, mas ele não consegue acessar facilmente.


Um comentário:

lu disse...

Seu trabalho no CQCé muito bom e vc é um gato

Pesquisa